fbpx

O que nos faz perder Energia?

A nossa energia é produzida a partir dos nossos pensamentos, emoções e comportamentos. As energias que produzimos nos afetam, bem como a todos os nossos semelhantes e os ambientes que frequentamos. Podemos ter mais ou menos saúde a partir do que somos e da energia que geramos a cada instante.

A revitalização e a perda de energia estão intrinsecamente ligadas ao nosso padrão energético, às trocas de energia com as pessoas e com os ambientes que frequentamos.

Mas, afinal,  como funciona o processamento das energias?

No universo, existem dois tipos de energias: a imanente e a consciencial.

Imanente é a energia cósmica, da natureza, encontrada em todo lugar, que não foi modificada por qualquer consciência.

Energia Consciencial é a imanente modificada por nós, por meio dos nossos processos energéticos, pensamentos e sentimentos. A todo momento interiorizamos energia, processamos e exteriorizamos.

A energia individual ou consciencial indica imediatamente a condição energética na qual o indivíduo se encontra. Com um simples pensamento que emitimos, atraímos consciências que estão no mesmo padrão energético. Por isso, precisamos ficar atentos aos ambientes que frequentamos, às pessoas com as quais nos relacionamos, o nosso comportamento habitual e, principalmente, aos pensamentos e sentimentos que cultivamos.

Trocas energéticas – como acontecem?

Por meio dos nossos chacras, que captam, processam e exteriorizam as nossas energias. Temos sete chacras magnos e podemos dividí-los entre chacras superiores (coronário, frontal e laríngeo) e chacras inferiores (básico, esplênico e umbilical). O chacra cardíaco situa-se na altura do coração e é o chara da continuidade.

Os chacras inferiores trabalham no nível do que é mais reativo, com energias mais densas e os chacras superiores trabalham no nível do discernimento, com energias mais sutis. No caso do chacra cardíaco, a parte mais baixa desse chacra processa energias mais emocionais e a parte mais alta processa energias sutis, mais afeitas aos chacras superiores.

Conseguimos identificar o nosso padrão energético?

Ao observar os nossos comportamentos mais comuns, identificamos o tipo de energia gerada. Se o nosso comportamento é mais reativo a maior parte do tempo, estamos trabalhando no nível emocional e gerando energias densas, o que nos proporciona menos circulação de energias e, consequentemente, menos vitalidade.

Como você lida com as dificuldades da vida? Você aceita um não com facilidade? Você sente raiva, ciúmes, é compulsivo? Essa é uma forma de identificarmos o nosso padrão energético.

As energias geradas por nós determinam o nosso padrão energético e os acontecimentos em nossas vidas. Assim, as perdas de energia acontecem como consequência do nosso comportamento. Querer controlar as pessoas e os ambientes, fazer julgamentos a maior parte do tempo, ser ansioso, inseguro, ciumento, raivoso, passivo, agressivo, preguiçoso, medroso. Tudo isso nos faz perder energia. Manter relacionamentos não saudáveis por conveniência ou por insegurança e frequentar ambientes defasados energeticamente também abrem a porta para a perda de energia.

De que forma podemos criar mais vitalidade?

Com esclarecimento, autoconhecimento e observação sincera de nossos pensamentos e comportamentos. Ao identificar o que precisa ser melhorado, podemos agir em busca das mudanças necessárias e, com certeza, conseguimos perceber o impacto em nosso dia a dia.

Convite

O que podemos implementar em nossa vida a partir de agora?

Rever os pensamentos e comportamentos, exercitar a assertividade, ter uma alimentação saudável, realizar atividades físicas, praticar a gratidão diariamente, ter um sentido na vida, frequentar ambientes saudáveis (de preferência com muita energia imanente). Tudo isso nos ajuda – e muito – a ter uma vida mais saudável e mais feliz!

13 de junho de 2017

0 Comentários em "O que nos faz perder Energia?"

Deixe sua mensagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© 2018 Meda Academy Training - Todos os direitos reservados.