O pior ou o melhor dia da sua vida?

Se você já sentiu aquela vontade de dormir, dormir e dormir e só acordar quando todos os seus problemas tivessem se acabado, já sentiu o mundo desmoronar na sua cabeça, já sentiu seus os ombros pesados e uma pressão gigantesca tomando conta da sua mente, então é para você que escrevo este artigo. Vem comigo?!

Aposto que você já passou por isso. EU já passei por isso. Todos já passamos por isso.

E pior (ou melhor?!?), alguns estão passando por isso neste exato momento. Portanto, que tal compartilharmos nossa experiência em situações como esta para ajudar a quem se encontra no meio da “tormenta”?

Não pretendo e muito menos me atreveria a tratar o assunto como uma “receita de bolo”, um caminho único a seguir ou mesmo “10 dicas infalíveis para salvar sua vida”, mesmo porque cada caso merece sua especial atenção e tem seu próprio desfecho. Mas, no geral, temos uma grande tendência (até mesmo em razão da fragilidade do momento) em caminharmos cada vez mais em direção oposta à saída e cada um trata a situação de acordo com seu “mapas” (conceito de ‘percepção de mundo da PNL).

Eu tratei de acordo com os meus e confesso, não foi nada fácil. Mas eu sobrevivi e você também. E ficou um ótimo aprendizado. Não foi à toa que o título deste artigo fala do “melhor dia da sua vida”, ou ainda “o melhor primeiro dia da sua vida”, pois basta compreender o quão valiosa essa “dor” se fez necessária para que mudanças acontecessem, ainda que à “força”.

tormenta

Depois dessa longa, porém necessária introdução, vamos ao que interessa: COMO SOBREVIVER AO PIOR DIA DA MINHA VIDA.

Seja ele originado por qual motivo for (separação, abandono, desemprego, fim de relacionamento ou mesmo a perda alguém representativo) todos nós temos, tivemos ou teremos piores dias das nossas vidas. Isso é inevitável. O que hoje pode ter sido o pior, amanhã pode não ser mais…

Se alguma dessas situações te levou para o fundo do poço e você se sentiu o mais mísero ser humano a habitar a face da Terra, repare que essa sensação nunca vem sozinha, sempre vem acompanhada de outras sensações tidas como “negativas”, tais como o “fracasso”, a imobilidade, a inércia…

Então vamos lá trocar algumas experiências e tentar minimizar a minha/sua sensação, pois não somos os primeiros e nem seremos os últimos e, talvez, nossos motivos nem sejam tão significativos para ser enquadrado nesse rol melodramático.

Portanto, sabedores de que há vida após a “morte”, sigamos em frente, com algumas ações que pus em prática e pode ser útil a alguém. Assim espero.

Curta seu luto

luto

À primeira vista pode parecer fúnebre, mas é algo necessário. Sua mente/corpo precisam desse momento de desmoronamento para ressurgir logo em seguida e te mostrar que você é capaz, apesar de tudo se mostrar contrário, você é capaz de sair dessa. Acredite em mim! Ninguém vive eternamente no fundo do poço.
Só não prolongue essa situação além do necessário, pois existe uma linha muito tênue que te separa do “luto” e da “depressão”. Se precisar de ajuda nesse quesito, não hesite em buscá-la O QUANTO ANTES. BUSQUE AJUDA! Seja num ente querido, num amigo próximo ou num profissional habilitado.

~abre-se um parênteses e inicia o tema de Rocky Balboa~

A vida não é sobre o quão duro você é capaz de bater, mas sobre o quão duro você é capaz de apanhar e continuar indo em frente.

Reavalie seus erros

erros

Passado o período de luto e de dias/horas de pijama amarrotado pela casa, barba por fazer e celular em modo avião, chegou a hora de dar um pontapé nisso tudo e iniciar seu plano de voo.
Eu sei que é duro tocar numa ferida que você luta para cicatrizar e sua mente vai criar todas as barreiras possíveis para evitar mais e mais sofrimentos, mas neste caso se faz necessário. Faça como os gurus pregam: aprenda com seus erros! Ainda que esse aprendizado te custe mais sofrimento, avalie suas atitudes por outra perspectiva.

Capisce? É simples, mas é eficaz.

Trace metas

metas

“Cara, como você pode me falar em metas num momento como este?”

Pois é exatamente isso que você não pode fazer: se deixar levar pela incerteza e se tornar passageiro de um barco que vai te levar para a ilha dos inertes e sem objetivos.

Meta é aquilo que vai te tirar da cama no dia seguinte e seguir em busca dos objetivos. E precisamos disso, mais do que nunca. Ainda que comece com pequenas metas, COMECE!

Sabe aquela fase onde “todo dia te parece um eterno domingo”? Pula fora disso, imediatamente.

Por mais que você não tenha absolutamente nada a fazer (mentira, você sabe que tem!), transforme seu dia-a-dia numa ‘rotina ordenada’ de metas em busca do que você pretende para um: curto, médio, longo prazos.
Se disso depender descobrir como arrumar uma grana para o cafezinho de amanhã, vá a luta. Isso é meta: o cafezinho de amanhã. E por aí vai. Use essa analogia para a vida. Hoje o cafezinho, amanhã… muito mais. Como diz Marco Meda: “Um sorriso e um passo a frente!”

Busque ajuda

amizade

Conte com seus amigos. Tem muita gente que pode te ajudar, de verdade. Principalmente no período do “luto” você vai precisar de um ombro amigo. De palavras positivas. Se torne aberto a ouvir aquilo que você já sabe e mais ainda àquilo que você não sabe. Lembra que a gente aprende com nossos erros?

Não tenha vergonha de pedir ajuda. Joga fora aquela capa de pessoa bem-sucedida, inquebrável, fodalhona e imune a situações ruins. Você é falível, todos somos. Esse é um mal que devemos evitar, pois essa imortalidade ainda não foi inventada e só te separa de alguém que poderia ter um mapa do teu caminho, um atalho, uma ferramenta, uma lanterna para esse túnel escuro que parece sem fim.

Não desista de você

Talvez a parte mais difícil e mais importante de todas. Não foi à toa que deixei para o grand finale: Nunca desista de você!

Olhe-se no espelho e diga a si mesmo: eu vou sair dessa!
Pode parecer bobo… e realmente é! Mas essa atitude libera alguma coisa que não sei dizer qual (sou de humanas, ok?!?) que vai te fazer se sentir melhor a cada repetição e vai despertar algum sentimento guardado dentro de ti, lá naquele cantinho escondido. Seja ele de compaixão, piedade, vergonha, força, atitude, garra, raiva, etc… Algum desses sentimentos será aguçado nesse momento contigo mesmo. Se preciso for, chore! Muito! Descarregue seuas energias negativas, mas ao final, cerre seus punhos e diga em alto e bom som:

EU NÃO VOU DESISTIR DE MIM!

E…

Como de costume, gosto de encerrar meus artigos com algum TED a respeito do tema e não poderia deixar de citar este: “Na escuridão total da noite, queimada por águas-vivas, engasgando com a água do mar, cantando para si mesma, tendo alucinações… Diana Nyad simplesmente continuou nadando… Ouça a sua história.” Ela quase desistiu, mas…

 

12 Comentários em "O pior ou o melhor dia da sua vida?"

  1. Amei seu texto. É exatamente assim que me senti quando perdi meu filho. A questão é que quando isso aconteceu fiz tudo menos a etapa principal que era vivenciar o meu luto. em breve conto esse história de amor pra vcs! Bjo querido e obrigada por compartilhar!

    • Babi, deve ser uma dor que imaginamos não suportar, né?!?
      Só mesmo o tempo para amenizar um pouco disso tudo…mas não se esqueça que tudo tem seu propósito. Ele cumpriu o dele.
      Guarde somente boas lembranças e o sentimento de que tudo tem seu fundamento.
      Um grande abraço a vocês. Força.
      Gratidao pelas palavras

  2. Enviando a uma pessoa muito especial.
    Super artigo!

    • Luuuu, que bom que vai ajudar alguém…essa é minha intenção. Todos nós temos momentos não tão bons e precisamos saber lidar com eles também, pois ali na frente tem um belo dia nos esperando.
      Basta sabermos traçar esse caminho…gratidão. Bjs

  3. Fala Armando! Emocionante seu artigo!
    Tudo nesta vida se conecta, pode ser que não saiba mas tenho um enorme admiração por você! Estas palavras não poderiam ter vindo em um momento melhor!
    Quando tudo que você busca e conquista é colocado em prova por palavras banais e sem sentido algum, dói, machuca, mais como você mesmo disse, sofrer é preciso!
    Hoje eu durmo assim, pra acordar amanhã com toda força do mundo pois meu objetivo continua sendo o mesmo!
    Gratidão pelas palavras!

    • Meu amigo, que bênção ouvir essas suas palavras. Fico muito feliz por ter, ao menos um pouquinho, contribuído para o seu momento.
      Saiba que por mais que possa parecer, nós suportamos…e a cada situação, nós suportamos mais e mais e mais…
      Eu também tenho uma grande admiração por ti, desde os primeiros momentos daquele curso, percebi o cara fantástico que tem guardado aí dentro. Você tem um coração gigantesco…mesmo não te conhecendo tão bem, meu feeling não me engana.
      Força, meu amigo…que tem um belo dia te esperando amanhã.
      Gratidão

  4. Como acabei de te enviar no Áudio, se prepara meu amigo algo muito, muito grande esta por vir ou melhor já esta acontecendo! Esse texto foi INCRÍVEL, você foi genuinamente infalível no que escreveu, compartilhando com o Mundo em 3,2,1… #gratidão#familiamedaacademy

    • Fiquei até sem fôlego com seu áudio.
      Como te disse, você tem um dom de expressar sentimentos inigualável. Incrivel isso, Kety.
      E suas palavras sempre muito ponderadas, serenas e incentivadoras.
      Gratidão, querida amiga! Espero que tenha sido útil ao menos um “bocadinho’ 😉

  5. Grande Armando. Realmente o seu texto de hoje é puuura reflexão. Muitos de nós “fingimos” estar tudo bem e “fugimos” dos nossos medos, das nossas sobras e dos desafios que realmente são difíceis de lidar. Inteligência emocional é aprender a lidar com as suas emoções. Principalmente as mais difíceis… muito bom amigo!

  6. Fantástico Armando, saboreei cada palavra, se isso fosse possível, tenho enfrentado meus medos e fantasmas de frente e isso está sendo muito bom, quanto mais enfrento mais me fortaleço, grata pelas palavras, um abraço

  7. Armando, me emocionei do início ao fim do seu Artigo.
    O pior dia da minha vida foi em 10/03/14, quando perdi meu marido de repente (infarto fulminante) ele partiu na minha frente, sem tempo de socorrer.
    Essa imagem, esse dia, todo sofrimento que eu, meus filhos e familiares passamos, as vezes volta em minhas lembranças e eu agradeço a Deus por ter passado por estes momentos, por ter suportado e amparado meus filhos que são a razão do meu viver.
    Vivi o meu luto como tinha de ser, mas não me entreguei, busquei força na minha família e no trabalho, e aos poucos as coisas foram se ajeitando. Sem escolha, tivemos que aprender a continuar sem a presença do meu marido. Mas, tenho certeza que ele cumpriu sua missão aqui na terra e que intercede por nós lá do céu.
    Hoje reconheço que o pior dia da minha vida, me fez muito mais forte, confiante, guerreira é capaz de enfrentar todas as dificuldades da vida sempre com um sorriso e um passo à frente.
    Obrigada, seu texto me trouxe muita reflexão.
    Forte abraço.

  8. Cara foi muito legal a primeira vez que li esse seu artigo, me remeteu muito algumas coisas que você mesmo já me contou, e a superação para aprender a lidar com isso é digna de muita força de vontade, fé e acreditar em si mesmo. Com certeza a mensagem que você traz com o seu artigo é para ajudar muitas pessoas que também passaram ou estão passando pela mesma situação. Gratidão por compartilhar conosco, grande abraço!

Deixe sua mensagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© 2018 Meda Academy Training - Todos os direitos reservados.